História Universal
SIGA-NOS NO FACEBOOK

CURTA NOSSA PAGINA
loading...

Batalha de Alésia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Batalha de Alésia

Mensagem por Fundador em 13th Agosto 2011, 18:23

Na Batalha de Alésia, em 52 a.C., os Romanos, liderados por Júlio César, venceram os Gauleses, liderados por Vercingétorix.

Superando em número aos romanos, na proporção de cinco para um, a dominação gaulesa parecia factível, sem esquecer que os gauleses já dominavam a fortificada cidade de Alésia. Mas Julio César, que acreditava apenas em realizações e não em estimativas, reforçou sua fortaleza com uma segunda muralha; quando os gauleses tentaram bloquear sua construção, Julio César ordenou levantar una terceira muralha, cercando os gauleses dentro do território romano. A isso se seguiu uma cruel e aterradora luta entre ambos os povos, que conseguiu acabar com as reservas e a paciência de todos. Milhares morreram de ambos os lados, mas Júlio César, assumindo seu temperamento de ditador, não apenas derrotou seus adversários gauleses, mas também avançou sobre seus domínios, abandonados.


Fundador
Administrador

Mensagens : 1615

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Batalha de Alésia

Mensagem por Saibot em 14th Agosto 2011, 00:59

Estamos em meados de Agosto de 52 a.C. Começa um dos cercos mais célebres da história. Irá durar quarenta dias. Alésia terá, na Antiguidade, uma ressonância tão grande como, para o mundo moderno, Dien Bien Phu. "Ao redor de Alésia, ocorreram tamanhas coisas que ousá-las dificilmente seria proeza de um homem, realizá-las obra de quase ninguém, exceto um deus" (Velleius Paterculus, II, 47, 1). Deixemos os especialistas disputar o seu local exato. O que importa é que o refúgio se transformou em armadilha, mercê da rapidez de César. Ainda ontem vencido, agarra a ocasião no ar: naturalmente fortificado, o planalto de Alésia podia, no entanto, ser cercado, porque não está encostado à montanha. Servindo-se das colinas circundantes, César, não obstante as surtidas dos sitiados, consegue rodear em escassas semanas o ópido céltico de uma circunvalação com 15 km de percurso, munida de redutos e de linhas de armadilha. A aptidão do legionário para se transformar em cabouqueiro, em carpinteiro, e em largar a pá e o machado para voltar a pegar na espada, faz fracassar cada tentativa de saída do inimigo. Todavia, antes da conclusão dos trabalhos do cerco, o chefe gaulês consegue a proeza de mandar transpor de noite, nas barbas dos Romanos, as linhas inimigas com os seus cavaleiros agora inúteis, tendo por missão reunir, o mais rapidamente possível, um exército que esmagaria os soldados de César "fixados" em Alésia, e cujas linhas perigosamente estendidas podiam, ao que parece, ser facilmente vencidas.

Saibot
Membro Regular
Membro Regular

Mensagens : 193

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Batalha de Alésia

Mensagem por Saibot em 14th Agosto 2011, 01:25

Entretanto, os 80 mil defensores do local, esgotados dos combates e da fome, conseguiram resistir, mesmo à custa de medidas atrozes: renunciando ao recurso do canibalismo, expulsaram do ópido as bocas inúteis - mulheres, crianças, velhos - que os dois exércitos, sem hesitar, ficaram a ver agonizar longamente na terra de ninguém entre as linhas. Também quando, nas primeiras brumas do Verão que acabava, a 20 de Setembro, as sentinelas viram subir, ao fundo do horizonte, a maré humana de 260 mil Gauleses do exército de socorro, não tiveram mais dúvidas de que finalmente acabariam com os Romanos. O que podiam fazer 50 mil legionários apanhados entre os sitiados que lutavam com a energia do desespero e os guerreiros inumeráveis recrutados entre todos os povos da Gália? A batalha para libertar Alésia durou quatro dias. Os Gauleses desencadearam três ataques maciços: o primeiro, conduzido por aquele que será o último "resistente" gaulês, Commios, o Atrébate, foi repelido pela cavalaria germana - manifestamente de extrema utilidade! Os legionários, entrincheirados, repeliram o segundo. O terceiro por pouco não foi "de vez": sem a presença de espírito de um lugar-tenente de César (de que mais tarde se irá falar muito), Marco António, terminaria em catástrofe com as coortes a levantarem-se antecipadamente do lado de fora da brecha aberta pelo inimigo no dispositivo romano encurralado, e as linhas romanas teriam sido logo submersas.

Saibot
Membro Regular
Membro Regular

Mensagens : 193

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Batalha de Alésia

Mensagem por Saibot em 14th Agosto 2011, 01:49

César, com a sua capa vermelha de general, teve de atacar pessoalmente, com as suas últimas reservas de cavalaria, para repor a situação, in extremis. Na noite de 25, esgotados por quatro dias de ataques ininterruptos, os legionários viram com um imenso alívio o exército gaulês retroceder em desordem, deixando para trás dezenas de milhares de cadáveres cujo fedor chegava aos sitiados desesperados. Um luar magnífico permitiu à cavalaria romana dar-se ao luxo de exterminar os retardatários. Acabara. Um mês e meio depois do começo do cerco, tendo Vercingétorix convocado uma assembleia, anunciou a sua decisão de se entregar a César, a fim de poupar aos sitiados um destino ainda mais atroz. Não se pode deixar de louvar o sentido de responsabilidade do chefe gaulês. Em vão, diga-se de passagem, pois, excetuando os Éduos e os Arvenos, ou Gauleses de Alésia serão todos entregues, um por um, como escravos, aos soldados romanos. A cena da rendição de Vercingétorix ficou célebre... e foi cumulada de posteriores adornos! Na sua simplicidade original, não deixa de ser bela: aos pés de César sentado no seu tribunal (estrado de comando), no seu lugar de pró-cônsul, coberto por um manto púrpura, não só Vercingétorix, em grande porte de nobre celta, mas atrás dele, e por ordem de distinção, todos os Gauleses vieram, em longas filas enquadrados por legionários, depositar as suas armas e as suas jóias de guerreiros, num amontoado impressionante.

Saibot
Membro Regular
Membro Regular

Mensagens : 193

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Batalha de Alésia

Mensagem por Saibot em 14th Agosto 2011, 02:05

César não diz uma palavra sobre o destino de Vercingétorix: para além de A Guerra das Gálias terminar em Alésia e não lhe assistirem as mesmas razões que a nós para se interessar pelo destino final do chefe gaulês, viu-se logo arrastado para a guerra civil contra Pompeu. A vitória de César sobre as Gálias só poderá ser comemorada seis anos mais tarde, no Verão de 46; durante todo este tempo, o chefe gaulês apodrecerá na prisão, em Roma. Após a derradeira humilhação de desfilar acorrentado no triunfo de César, será estrangulado na sua cela e o seu corpo atirado para a fossa pública. Menos de dois anos mais tarde, o seu vencedor, cravado com vinte punhaladas em pleno Senado, segui-lo-á na morte. O mito de Vercingétorix, como herói fundador do sensacionalismo francês, terá de esperar dezanove séculos para nascer. O de César começa logo, com a aparição da sua alma divinizada, sob a forma de um cometa, no céu de Roma.

Saibot
Membro Regular
Membro Regular

Mensagens : 193

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Batalha de Alésia

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum